crianças e sol

Fotografia de Shutterstock.

A maioria dos pais conhece os benefícios gerais de passar tempo ao ar livre. No entanto, a ciência revela que isso pode ajudar a regular os padrões de sono da criança, inverter os danos causados pela exposição aos ecrãs e melhorar a sua saúde mental.

Texto: Lindsay N. Smith

As quartas-feiras estavam a tornar-se difíceis para a família de Zenovia Stephens. O seu filho de cinco anos vinha da escola rabugento, não queria brincar com o irmão mais novo e tinha dificuldades em lidar com a mudança de ambiente. Então, ela deixou de usar o carro e começou a ir buscá-lo à escola a pé, dando-lhe muito tempo para brincar enquanto regressavam.

Quando chegava a casa, o filho de Zenovia já estava mais feliz e, quanto mais tardes passaram assim, melhor ele ficou. Stephens, fundadora da Black Kids Adventures, encontrara um remédio que não só funcionava para a sua família, como é defendido pela ciência: maximizar a exposição à luz solar é essencial para a saúde das crianças.

A maioria dos pais está consciente dos benefícios comportamentais de levar os filhos à rua, desde ser mais fácil deitá-los a diminuir as discussões entre irmãos. No entanto, a investigação mostra que a exposição solar também tem impactos biológicos significativos no humor, no sono e na saúde física de uma criança. Melhor ainda, a luz solar pode compensar os impactos negativos da luz azul artificial de todos aqueles dispositivos que os seus filhos devem usar.

Há outras razões que explicam por que a luz solar é importante. Fique a conhecê-las e saiba como maximizar os benefícios da diversão ao sol.

A ciência por detrás da luz solar

Nem toda a luz nasce igual. Os progenitores já ouviram vezes sem conta que devem evitar a luz azul e é verdade que a exposição a luz azul artificial durante a noite pode afectar os ritmos diários de uma criança. No entanto, a luz solar também tem uma forte componente deste polémico comprimento de onda e ambos os tipos de luz exercem um grande impacto no relógio circadiano de uma criança.

Este mecanismo interno que regula os ritmos do seu organismo está intimamente ligado à luz. Segundo Helen J. Burgess, professora de psiquiatria e co-directora do Laboratório de Investigação do Sono da Universidade de Michigan, a luz afecta tudo desde o estado de alerta à calma e a fome que se sente durante o dia.

A razão pela qual a luz azul artificial dos dispositivos é tão nociva à noite é porque imita a luz azul natural do Sol, confundindo o relógio circadiano do organismo. Um estudo liderado por Monique LeBourgeois, professora associada de fisiologia integrativa na Universidade de Colorado Boulder, mostrou que olhar para luz azul artificial à noite reduz dramaticamente a hormona melatonina, indutora do sono, perturbando os horários de ir dormir e afectando o comportamento durante o dia. No entanto, obter essa mesma luz azul a partir do Sol, que contém um espectro completo benéfico para a saúde, tem exactamente o efeito contrário – e muito mais.

LeBourgeois explica que, quanto mais luz azul uma pessoa receber durante o dia, melhor consegue defender-se dos males causados pela luz azul dos ecrãs durante a noite. Ela acrescenta que encher o dia com luz solar resulta numa acumulação de luz azul que ajuda a contrariar as consequências da luz artificial à noite. Por outras palavras, quanto mais exposição solar uma criança tiver durante o dia, melhor o seu cérebro conseguirá construir uma muralha contra os malefícios da luz azul artificial mais tarde.

Esse não é o único benefício da exposição solar. A vitamina D produzida pelo organismo quando absorve luz ultravioleta do Sol pode contribuir para o desenvolvimento ósseo, prevenir doenças e promover um sistema nervoso saudável. O mesmo processo também produz serotonina, um químico que contribui para o funcionamento cerebral e melhora o humor e a felicidade. Além disso, a luz azul natural protege contra a miopia infantil, alivia os sintomas de problemas de saúde mental como HDA (hiperactividade e défice de atenção) e baixa a tensão arterial.

Ideias para aumentar a exposição solar

Os especialistas concordam que expor as crianças a mais sol pode aumentar a sua saúde física e mental – e os estudos sugerem que 30 a 60 minutos de brincadeira ao ar livre por dia é o suficiente para obter bons resultados. O grande desafio é encontrar tempo para estas actividades ao Sol. Segundo dados preliminares de um estudo por publicar liderado por LeBourgeois, as crianças entre os 4 e os 6 anos passam cerca de 82 por cento do tempo do seu tempo acordadas em espaços fechados, ao longo do ano do ano lectivo.

As boas notícias são que as actividades ao ar livre, mesmo que de curta duração, podem acarretar grandes benefícios. “Não é preciso ser sempre numa aventura épica”, diz Adrianna Skori, CEO da Kids Who Explore. Em vez disso, os especialistas sugerem que encontre soluções para expor as crianças à luz solar nas actividades do dia a dia. Seguem-se 10 ideias.

Saudar o dia. Deixe as crianças correrem à solta durante alguns minutos depois de acordarem. Se tiver um horário a cumprir, programe um alarme e diga aos seus filhos de antemão que têm 10 minutos para estar lá fora antes de se arranjarem.

Faça as suas deslocações ao ar livre. Deixe o carro em casa e escolha um meio de transporte que lhe permita andar na rua. Caminhe ou use a bicicleta para levar os seus filhos à escola, assegurando-se de que eles têm a possibilidade de estar ao Sol, sem que isso pese no seu horário.

Façam uma pausa. Um minuto faz mesmo a diferença. Pode não ter tempo para ir até ao parque todos os dias, mas deixar os seus filhos ficarem cinco ou dez minutos no recreio da escola quando os vai buscar já é bom.

Invente um projecto de arte. Arranje um projecto para os seus filhos fazerem no exterior enquanto prepara o jantar. Observe-os pela janela enquanto eles criam uma obra-prima com giz ou pintam pedras no quintal.

Coma no exterior. Invista num conjunto de piquenique ou numa mesa para o jardim – ou pegue numa simples manta – e tome o pequeno-almoço e o jantar lá fora para absorver aqueles raios de sol extra enquanto come. Levar a comida para o exterior irá ajudar os seus filhos a terem um bom resto de dia e a dormirem profundamente durante a noite.

Dê um passeio depois do jantar. Sirva o jantar mais cedo para levar a família a passear pelo bairro depois do jantar ou simplesmente subir e descer a rua. Ou…

Organize um passeio com os vizinhos. Planeie um encontro semanal com outras famílias para um passeio rápido a volta do quarteirão. “É uma forma agradável de pôr a conversa em dia com os amigos, estar na rua e deixar as crianças correrem um pouco”, diz Sara McCarty, fundadora e editora-chefe de Run Wild My Child.

Apanhe sol em casa. Se, apesar das suas melhores intenções, continuar fechado em casa, escolha uma actividade que leve os seus filhos para junto de uma janela com muita luz – e para longe dos ecrãs. Mantenha uma forte ligação à natureza substituindo os brinquedos típicos por equivalentes em madeira: por exemplo, use ramos ou pedras em vez de blocos para fazer construções.

Transforme as tarefas em aventuras. Envolva as crianças nas tarefas domésticas ao ar livre para que possam simultaneamente apanhar algum sol. Peça-lhes para irem buscar o correio ao fim da tarde ou para varrerem o alpendre de manhã.

Faça um calendário. Transforme o seu tempo ao ar livre num projecto, elaborando um calendário para a sua família. Anote os minutos antes e depois da escola, compare semanas e registe as coisas mais importantes que acontecem lá fora todos os dias para encontrar tendências úteis.

Pesquisar