ponte trajano

Um aspecto da ponte de Chaves.

A antiga Aquae Flaviae adquiriu fama na época romana graças à emblemática Ponte de Trajano e às termas para curas terapêuticas.

Texto: Paulo Rolão

Esta história começou quando os romanos invadiram a região da Galécia e chegaram ao vale do rio Tâmega por volta do ano 220 a.C. Aí encontraram um conjunto de castros indígenas que utilizaram como fortins, aos quais adicionaram muralhas de forma a protegerem a população que ali residia e erigiram uma ponte para a travessia do curso de água. O aglomerado populacional foi-se expandindo, mas a riqueza que realmente catapultou o povoado foi o facto de, nas redondezas, existirem fontes de água quente com propriedades medicinais, às quais acrescentaram os respectivos balneários. Este local começou a ser alvo de romaria para ns terapêuticos ereligiosos – o culto das ninfas começou a ter cada vez mais devotos. Eis a explicação para um dos nomes da cidade – Aquae. Esse facto, juntamente com a descoberta de importantes jazidas de ouro, alimentou enorme demanda da localidade na Antiguidade. Boa parte da população dos arredores decidiu mudar-se com o propósito de ali se radicar. Obviamente, a cidade cresceu, tornando-se um importante e obrigatório ponto de paragem, pois encontrava-se em pleno trajecto da via romana que ligava Bracara Augusta a Asturica Augusta (Astorga, na actualidade).

A Ponte de Trajano, com um tabuleiro de 140 metros de comprimento, permite que a água do Tâmega corra entre os doze arcos de volta redonda. Narealidade, a ponte é sustentada por um total de 16 arcos, mas quatro estão soterrados por habitações ou pelas cheias que ali ocorrem. A meio, duas colunas cilíndricas com epígrafes confirmam a construção na época do imperador Trajano.

ponte trajano

Uma das colunas originais que atesta a construção em honra de Trajano.

A ponte começou a ser cada vez mais percorrida por gentes de todas as paragens que acorriam à cidade, que, nessa altura, já tinha fórum, capitólio e decumano (rua principal que, nas cidades romanas, está sempre no sentido leste-oeste). A relevância aconteceu em 79 d.C., quando o imperador Tito Flávio Vespasiano – o primeiro da dinastia flávia – a elevou à categoria de município. Eis a explicação para o outro nome da antiga urbe – Flaviae. Dessa era distante, subsistem como exemplos vivos as ruínas da estância termal, um edifício que incluía duas grandes piscinas, outras sete de menores dimensões e um complexo sistema hidráulico de abastecimento às infra-estruturas (ainda em funcionamento). APonte de Trajano ainda gura no brasão da cidade de Chaves.

mapa

Pesquisar