O massacre de há um século ainda assombra a Turquia e a Arménia. 

Ao mesmo tempo que as potências europeias se batiam pelo continente africano, Henrique de Carvalho foi o último de uma dinastia de exploradores, aceitando a missão de encontrar o mítico império Lunda. 

Novos testes genéticos conduzidos com restos mortais dos antigos colonos revelam que a Europa é há muito um caldeirão de linhagens imigrantes oriundas de África, do Médio Oriente e das planícies verdejantes do actual território da Rússia.

moedas

As primeiras moedas da história apareceram há cerca de 2.700 anos. Foram cunhadas no próspero reino de Lídia, na Ásia Menor, com uma liga de ouro e prata clamada electro e com apoio do Estado. 

Doze concelhos do Norte de Portugal uniram esforços para preservar um tesouro que vem desde os alvores da nacionalidade. Este tesouro é de pedra. Pedra que conta histórias.

Escavações polémicas realizadas sob a cidade de Jerusalém estão a expor milénios de tesouros religiosos e culturais e a espicaçar tensões muito antigas.

Pujante no Império Romano, incógnita nos séculos seguintes, Ammaia sempre lutou por permanecer no mapa. De muitas maneiras, ela reflecte a evolução da arqueologia portuguesa.

Envolto em nuvens, o cume do Pico faz-se anunciar no vazio, à esquerda, ora aparecendo ora desaparecendo, emoldurado pelas janelas do instável avião a hélice. 

No passado, para encontrar tesouros, era necessário desencantar de um baú um mapa secreto, amarelecido pelos anos, onde o local estaria marcado por um X. Na Madeira, é mais simples. Basta perguntar pela Sé.

Pesquisar