urso-pardo

Uma nova ferramenta promete ajudar os cientistas a identificar os ursos-pardos.

Texto: Annie Roth

Os sistemas de reconhecimento facial para seres humanos são amplamente utilizados pelos serviços de segurança e forças policiais. Agora, existe um para… ursos-pardos.

O chamado BearID permite aos cientistas seguir os animais através de áreas vastas e durante longos períodos. A identificação de ursos mostrou-se difícil até agora porque estes animais tendem a não apresentar marcas claramente distinguíveis, ao contrário por exemplo dos cetáceos, cujas barbatanas caudais funcionam praticamente como uma impressão digital. Esta tecnologia, nascida da colaboração entre ecologistas e cientistas informáticos, torna possível reconhecer ursos capturados por armadilhas fotográficas.

Com uma taxa de precisão de 83,9%, o software executa algoritmos Deep Learning para mapear as características faciais de cada urso. Comunidades indígenas na Colúmbia Britânica já estão a utilizar a aplicação, monitorizando ursos específicos através das fronteiras territoriais. Os criadores do BearID esperam adaptar o software para acompanhar outras espécies, como as renas e os ursos-polares.

Pesquisar