Uma rara perspectiva da vida sob o continente gelado Antárctida revela um mundo colorido e vibrante onde pinguins, focas e outras criaturas exóticas prosperam em águas geladas.

Durante quase duas semanas, cientistas de vários países juntaram-se nas ilhas Selvagens. E descobriram que há ali território ainda por desbravar.

É a terra do jade, um território que junta quatro parques nacionais da Nova Zelândia, as montanhas e as florestas mais elevadas e os glaciares mais extensos do país. É Te Wahipounamu, o lugar da nefrite.

A vida marinha ao largo da península Antárctica precisa de protecção num contexto em que o gelo marinho diminui e os barcos de pesca se vão aproximando para aumentarem a captura de krill.

Durante milénios, os leopardos-das-neves assombraram alguns dos  territórios mais inóspitos da Ásia Central – penhascos altíssimos, desfiladeiros profundos e desertos de altitude.

Uma equipa de fotógrafos europeus capturou a pujança da vida selvagem do Velho Continente.

Passa pouco das nove horas e trinta minutos da manhã no coração dos Pitões das Júnias, no Parque Nacional da Peneda-Gerês. O nevoeiro é cerrado, mas, mais tarde, é-se recompensado com o avistamento de cabras-monteses que encontram aqui o seu refúgio.

Não parecem deste planeta, mas os cristais de gelo são prodígios efémeros totalmente terrestres, que fascinam artistas e investigadores há centenas de anos.

atum-rabilho

Valorizado pelas refeições que suscita, o rápido e poderoso atum-rabilho é alvo de pesca excessiva.

Pesquisar