Dark Sky Alqueva

Na albufeira do Alqueva entre Portugal e Espanha, milhares de pessoas habituaram-se a olhar para o céu nocturno.

Texto: Gonçalo Pereira Rosa

Os observadores de vida selvagem costumam perscrutar o horizonte em busca de silhuetas de fauna ou analisam minuciosamente o solo em busca de pegadas. Na grande zona transfronteiriça banhada pela albufeira artificial do Alqueva, olha-se para cima, comprovando a aposta de Apolónia Rodrigues, a que mais tarde se juntou Miguel Claro, promotores em Portugal do conceito de astroturismo e activistas da qualidade do céu nocturno.

Desde 2007, o projecto Dark Sky Alqueva® propõe aos visitantes tirar partido de uma das zonas com menor poluição luminosa da Península Ibérica, que se traduz na possibilidade de avistar o céu nocturno sem perturbações na maioria dos dias. Não está em causa uma redução da qualidade de vida das populações, mas sim a busca incessante de soluções eficientes de iluminação dos aglomerados urbanos. Em quase dez mil quilómetros quadrados dispersos por dez municípios portugueses e treze espanhóis, distribuem-se agora variados pontos de observação, sob orientação dos guias do observatório.

Dark Sky Alqueva

A actividade mais popular é, naturalmente, a observação nocturna a olho nu ou com os telescópios do Observatório da Cumeada, perto de Reguengos. Para tal, foi adaptada uma antiga escola primária a observatório, dispondo de dois tectos retrácteis e telescópios de ponta.

Os visitantes são igualmente desafiados a participar em workshops de astrofotografia com o fotógrafo Miguel Claro, colaborador regular da National Geographic. Durante o dia, numa região diversificada e de forte contacto com a natureza, o viajante pode realizar passeios pedestres ou equestres, actividades de canoagem, passeios de barco no Alqueva, balonismo, provas de vinho, birdwatching, entre outras. A noite, claro, fica reservada para a astronomia.

Dark Sky Alqueva

As noites límpidas são uma oportunidade fantástica para apreciar o firmamento.

A rede Dark Sky alargou-se nos últimos dois anos a mais dois destinos, com oferta de actividades na região do vale do Tua e na Rede de Aldeias do Xisto, tirando partido da reduzida poluição luminosa dessas regiões.

Pesquisar